Festa do Livro

Festa do Livro
Seja bem-vindo.
Neste blog daremos conta das nossas actividades, palestras, exposições, etc.

Visite-nos e comente, sempre que lhe aprouver.

terça-feira, 27 de março de 2018

Hora do Conto em Família "A menina dos livros"

"A menina dos livros" de Oliver Jeffers e Sam Winston, foi a história escolhida para este sábado, dia 24 de Março.
 Este é um conto muito bem ilustrado e inspirado na magia que acontece quando alguém viaja e se perde ao ler uma história.
Um conto em que os autores celebram o amor e a criatividade pela literatura clássica infantil mas de uma forma inédita, em que as palavras e ilustrações se misturam.
Um belo livro para descobrires na Biblioteca Municipal!

Obrigado mais uma vez pela vossa presença e participação.
Até à próxima!













terça-feira, 20 de março de 2018

Hora do conto em Família "A Bruxa Mimi"


Decorreu no sábado dia 17 de março mais uma  hora do conto. Desta vez a história escolhida foi a da  "Bruxa Mimi" de Valerie Thomas.
Uma bruxinha muito divertida e que divertiu todos os meninos na hora do conto com as suas aventuras e do seu gato preto Rogério. Gato preto?!...
Se não conseguiste ouvir esta história, vem à Biblioteca Municipal requisitar este livro.
Não te vais arrepender!




sexta-feira, 16 de março de 2018

Tertúlia ao Serão "O Dia Internacional da Mulher"

O "Dia Internacional da Mulher" foi o tema escolhido desta sessão, para relembrar o já passado dia 8 de Março.

Depois de uma explicação dada sobre a razão de ter sido escolhido pela ONU este dia como o "Dia Internacional da Mulher", relembrando o triste dia 8 de Março de 1857 no qual aproximadamente 130 operárias de uma fábrica de tecidos em Nova Iorque morreram queimadas dentro da fábrica, depois de fazerem uma grande greve e reivindicarem melhores condições de trabalho, tais como redução de horas de trabalho para 10 horas diárias e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho, fizemos uma pequena revisão pela história da mulher e do seu papel na sociedade, dos tempos mais remotos até aos dias de hoje, dando início desta forma à tertúlia que se exigia.

Relembraram-se com tristeza e em discurso directo tempos duros e difíceis da mulher numa sociedade patriarcal, na qual só se valorizava o trabalho do homem, realizado fora de casa e ganho em dinheiro, não dando por isso qualquer valor ao trabalho doméstico da mulher, o qual era muito duro e ao qual, na maior parte das vezes, se somava o trabalho do campo para sustento alimentar da família.
Também recordámos, da história do fascismo em Portugal, porque a memória pode ser curta!, período em que se viveu a ausência de direitos de todo o tipo da maior parte das mulheres portuguesas, naquele tempo negro anterior ao 25 de Abril, invocando leis cruéis para a maior parte das mulheres portuguesas.

Para desanuviar um pouco, porque o assunto era muito sério e o ambiente estava pesado para os homens presentes, chegou a vez deles, e só para irritar as mulheres falámos dos 12 mandamentos das mulheres, dos ditados sobre as mulheres e contámos anedotas de mulheres pensadas por homens!

Seguidamente, para equilibrar a balança, falámos das diferenças de comportamento naturais entre homens e mulheres, tendo sempre presente o aspecto físico e sensitivo presentes.

Depois, dissemos e cantámos poesia a propósito: "Mulher" de Ary dos Santos, "Porque não comemoro o dia da mulher" de autor(a) desconhecido(a), "As mulheres são fantásticas" de Carlos Drummond de Andrade, " O segredo das mulheres" de Miguel Esteves Cardoso, "O que sempre soube das mulheres" de Rui Zink, "Todos os homens são maricas quando estão com gripe" de António Lobo Antunes e "Calçada de Carriche" de António Gedeão.

Para finalizar e porque este maravilhoso grupo da "Tertúlia ao Serão" gosta muito de cantar, finalizámos todos a cantar afinados, música popular portuguesa a condizer.

A Biblioteca Municipal mais uma vez agradece a todos a vossa presença e participação.
Até à próxima, "Tertúlia ao Serão"!











MULHER, de José Carlos Ary dos Santos
“A mulher não é só casa
mulher-loiça, mulher – cama
ela é também mulher-asa,
mulher-força, mulher-chama
E é preciso dizer
dessa antiga condição
a mulher soube trazer
a cabeça e o coração
Trouxe a fábrica ao seu lar
e ordenado à cozinha
e impôs a trabalhar
a razão que sempre tinha
Trabalho não só de parto
mas também de construção
para um filho crescer farto
para um filho crescer são
A posse vai-se acabar
no tempo da liberdade
o que importa é saber estar
juntos em pé de igualdade
Desde que as coisas se tornem
naquilo que a gente quer
é igual dizer meu homem
ou dizer minha mulher”

Hora do Conto em Família "Faz-de-conta"

No sábado passado, dia 10 de Março, fomos ao encontro da imaginação com o conto " Faz-de-conta" de Clara Cunha.

Todos adoramos brincar ao faz-de-conta! Uma princesa diferente que tem como companhia um urso estranho, os quais vivem num castelo onde existe um rei e uma rainha sem coroas... esta é uma história  do imaginário que nos transporta para o poder da criatividade num mundo onde todos podemos ser aquilo que quisermos.

E depois de vermos, ouvirmos e compreendermos a mensagem deste conto, resolvemos ser todos dinossauros por uma hora. E porque não?

Obrigado pela vossa presença e participação e até ao próximo sábado.











quinta-feira, 8 de março de 2018

Hora do conto para grupos escolares

Hoje, logo pela manhã, tivemos o prazer de receber a visita das crianças do Infantário da Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova de Cerveira. Conforme combinado, apareceram para mais uma sessão da Hora do Conto!
"Quando me sinto... zangado" de Trace Moroney, foi a pequena mas enorme história escolhida para contar esta manhã.
Será que quando estás zangado também te sentes como um vulcão, prestes a explodir ou te apetecesse dar pontapés e gritar ou correr sem parar?
Todos nós nos zangamos e claro que todos gostaríamos de não o fazer..., ficamos mal dispostos, o que não é nada agradável... às vezes, pensamos que temos razões para zangar...enfim, vamos começar por trabalhar para zangar cada vez menos, até não zangar!
Não te esqueças. Quando estiveres zangado tenta fazer coisas que te deixem bem disposto como o coelhinho faz.
Curioso para saber o que ele faz para ficar bem disposto quando se sente zangado? Ah pois é, eu também estava. Para satisfazer a tua curiosidade tens de passar na nossa biblioteca para leres este livro ou, então, também o podes requisitar para ler em casa.

Mais uma vez obrigado pela vossa presença activa nesta sessão. Ficamos à vossa espera para uma  próxima oportunidade!